PARQUE MUNICIPAL ROSINHA CADAR

Ano: 1996

Local: Confluencia das ruas Araguari, Matias Cardoso e Rodrigues Caldas, no Bairro Santo Agostinho, Belo Horizonte, MG

​Área Construída:  7.200m²

Projeto Arquitetônico:

Marieta Cardoso Maciel

Projeto Paisagístico: 

Marieta Cardoso Maciel

Mostrar Mais

MEMORIAL

Pela Lei de Uso e Ocupação do Solo, publicada em 1985, esse espaço estava classificado como SE-2 (Setor Especial 2), definido como o setor que compreende espaços, estabelecimentos e instalações destinados aos Serviços de Uso Coletivo. Da negociação com a PMBH, a área pôde ser parcelada e coube à PMBH a parte correspondente à área verde pública SE-1. O resultado desse processo de doação definiu a área particular como ZR-5. O coeficiente de aproveitamento corresponde ao total do quarteirão. As construções previstas na parte privada ocupariam metade da quadra, sendo o muro do parque a linha limítrofe das partes pública e privada.

O Parque Rosinha Cadar é um exemplo do trabalho, com a parceria técnica e financeira pública e privada, que institucionalizou a cooperação mútua para a concretização de interesses específicos. Participaram do processo a para elaboração do projeto e sua execução a equipe técnica da SMMA (arquitetos, engenheiros florestais e agrônomos, biólogos), empresários, políticos e a comunidade. Os grupos envolvidos contribuíram cada qual em sua especialidade nas fases de identidade ambiental e comportamental e na elaboração do programa de atividades públicas. Os interesses públicos e privados, ainda que divergentes, se uniram beneficiando a cidade e os cidadãos. Surgiu, com isso, mais um parque municipal.

PLANTA ESTUDO PRÉ-LIMINAR, MARIETA MACIEL

O Estudo Preliminar que constitui o desenho interno da área foi elaborado, tendo como base a trama modular quadrada de 100 m2, que definiu e conformou seus ambientes. Essa trama tem como um dos eixos de referência a linha divisória entre a área pública e a privada. O outro eixo transversal corta o eixo longitudinal ao meio.

PERSPECTIVA ESTUDO PRÉ-LIMINAR, MARIETA MACIEL

Dois acessos opostos, um pela Rua Matias Cardoso e outro pela Rua Rodrigues Caldas, acompanham o eixo longitudinal do terreno. Mais dois acessos se dão pela Rua Araguari, unindo-se em um ponto e tomando o percurso do eixo transversal. Três pontos no piso com detalhe em tijolos de vidro e iluminação interna marcam esse eixo transversal.

Pela conformação geométrica do terreno e levando-se em consideração a localização do conjunto arbóreo, o ambiente destinado a grandes concentrações públicas foi localizado ao longo do eixo longitu- dinal. Essa é a parte com maior insolação no terreno e foi escolhida como "pano de fundo" para onde convergem todas as visadas. Este ambiente constitui a praça central.

A praça central constitui uma área impermeabilizada em concreto pigmentado, formando um grafismo. Nela se localizam o mobiliário do parque, os elementos ornamentais e os equipamentos de apoio. Seixos rolados sobre o cimentado arrematam o piso.

Foram criadas formas sinuosas para contrastar com a rigidez geométrica do seu desenho externo e para criar áreas para o plantio dos jardins ornamentais, aproveitando a grande incidência de sol.

CONTATO

Tel: (31) 3234 0836

       (31) 99916 4933

e-mail: contato@polisarquitetura.com.br

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Pinterest Icon

©2016 por Pólis.