EDIFÍCIO FORLUZ

Ano: 2008

Local: Belo Horizonte, MG

​Área: 4.500m²

Projeto Paisagístico: Marieta Cardoso Maciel e Mirelli Borges Medeiros.

Projeto Arquitetônico:

Gustavo Penna Arquiteto & Associados e Trini Arquitetura

Gerenciamento: GPA&A, Trinia Arquitetura, Rísia Botrel e Flávia Mansur
Esquadrias:
BM Consultoria em esquadrias
Estrutura: Engecol Engenharia e Economia

Instalações Técnicas: Facury Engenharia – Gestão e Tecnologia
Sistema de ar-condicionado, exaustão, ventilação, cogeração: Protherm – Sandra R. Botrel e Silva
Impermeabilização: Firmino Siqueira Consultoria S/C LTDA
Automação: Automatix Automação, Instalações e Manutenção LTDA
Acústica: Oppus Acústica – Marco A. M. Vecci
Orçamento e Planejamento: Plante Engenharia – Fernando Ripari Machado
Trânsito – Estacionamento: Tectran – Técnicos em transportes
Consultoria LEED: CTE Centro de Tecnologia de Edificações
Consultoria em Sustentabilidade: Fernando Navarro y Bidegain

Mostrar Mais

O Edifício FORLUZ está localizado no quarteirão entre a Avenida Barbacena, Rua Mato Grosso e Rua Gonçalves Dias, Bairro Santo Agostinho e na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. É um espaço densamente ocupado por edifícios comerciais, institucionais, escolas, hospitais e residências.

 

 

O conjunto formado pelo edifício e as demais construções do entorno (espaços livres e edificados) constitui um dos muitos cenários da paisagem urbana.

A proposta paisagística, no caso, teve como finalidade reinventar o cenário local utilizando, para tal, de recursos tecnológicos contemporâneos com possível diversidade biológica, integração formal e funcional dos espaços disponíveis e expressividade arquitetônica, urbanística e paisagística.

O paisagismo no edifício teve a arquitetura como seu referencial de criação. O projeto paisagístico complementou o edifício e a ele está conectado. As diretrizes da arquitetura e as condições do lugar é que direcionaram a proposta paisagística. 

 

 

Foram identificados alguns espaços disponíveis para tratamento paisagístico:

  • Acessos e percursos nos espaços externos da edificação (Passeios, acessos, outros),

  • Nível das lojas,

  • Nível térreo (Praça e jardineira do Lobby),

  • Marquise e Pavimento de eventos (terraço).

A arborização urbana teve como objetivos principais melhorar as condições urbanísticas atuais, favorecer fluidez, segurança e conforto aos pedestres, identificar o lugar e as edificações, criar micro-clima agradável, incrementar as condições de permeabilidade do solo, abrigo e alimento para avifauna, diminuição da poluição, valorização da paisagem. Com relação à arborização existente, o conjunto arbóreo de Caesalphinia ferrea no canteiro central da Avenida Barbacena é o mais significativo.

Para a Avenida Barbacena sugeriu-se o plantio de Patas de Vaca (Bauhinea sp.).

 

Para a Rua Gonçalves Dias Ipês brancos (Tabebuia alba).

 

As mudas para plantio na Rua Mato Grosso foram Ipês amarelos (Tabebuia serratifolia).

Ainda que de percepção local, essa paisagem é singular, faz parte de toda a panorâmica da cidade, razão para preocupações com a harmonia entre o seu entorno imediato, a funcionalidade específica e a expressão plástica.

CONTATO

Tel: (31) 3234 0836

       (31) 99916 4933

e-mail: contato@polisarquitetura.com.br

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Pinterest Icon

©2016 por Pólis.